Estudantes da rede estadual participam de torneio de Robótica e disputam vagas para a etapa nacional

download (3) download (4)

Estudantes da rede estadual estão participando, nestas sexta-feira e sábado (23 e 24), da etapa regional do Torneio de Robótica First Lego League, que acontece na sede do Serviço Social da Indústria (SESI) Reitor Miguel Calmon, no bairro do Retiro, em Salvador. São duas equipes que representam o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC Salvador), unidade da rede estadual localizada dentro do Colégio Estadual da Bahia (Central), e o Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos, localizado no bairro da Paz, também na capital.

No torneiro, que este ano tem o tema “Hidrodinâmica”, equipes de jovens de 9 a 16 anos de idade, vindos de todos os estados da região Nordeste, utilizam a criatividade para buscar soluções inovadores para problemas existentes no mundo. Para isso, eles programam robôs autônomos capazes de cumprir as missões no torneio. Nesta etapa, serão classificadas seis equipes para a etapa nacional, que acontecerá de 16 a 18 de março, no Paraná.

A iniciativa tem o objetivo de promover o ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática (STEAM), por meio de torneios de robótica com clima de evento esportivo. Além disso, fomenta o trabalho colaborativo e fortalece a capacidade de inovação, criatividade e raciocínio lógico dos participantes.

Ítalo Gabriel Santos, 15, é um dos oitos integrantes da equipe “Rubograma”, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salvador. “Estou gostando muito do torneio porque é muito divertido. O nosso robô possui apenas peças de Lego e um computador portátil, que a gente programa em blocos lógicos através de um programa de computador oferecido pelo torneio”, afirma.

O instrutor e técnico da equipe “Rubograma”, Genicleito Carvalho Beltrão, fala sobre os benefícios da atividade para os estudantes. “O interessante do torneio é que os alunos podem praticar o que aprenderam nas oficinas do Centro Juvenil, como por exemplo os conceitos de Robótica e de produção científica”.

O estudante Caio Leal, 16, faz parte da equipe “Flash Light”, do Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos, que conta com cinco estudantes, também falou sobre a experiência. “É a primeira vez que participo de um torneio de robótica e estou na expectativa de que a nossa equipe seja uma das selecionadas para a próxima etapa. Aqui, temos contato com outros estudantes de diferentes estados do Nordeste e isso é muito legal”, diz, entusiasmado.

Mais sobre o Torneiro – O Torneio de Robótica First Lego League é um programa internacional de exploração científica criado em 1998 pela First em parceria com o Grupo Lego. Ele propõe que estudantes sejam apresentados ao mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, por meio da construção e programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia Lego Mindstorm.

Secretaria da Educação do Estado mobiliza comunidade escolar para a III Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

download (1) download (2)

A Secretaria da Educação do Estado está mobilizando os professores, gestores e estudantes das escolas estaduais para que participem da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que será realizada de 7 a 9 de maio. As etapas do processo foram apresentadas, nesta quinta-feira (22), durante painel sobre a Conferência, na sala Herculano Menezes da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). A atividade contou com a presença de 60 estudantes do Colégio Estadual Pinto de Aguiar, do bairro de Mussurunga.

A Conferência terá como tema “As Escolas da Bahia cuidando das Águas”. Um dos objetivos é promover a ampla discussão sobre o tema entre os jovens que se encontrarão para ouvir, falar e divulgar suas ideias e ações, contribuindo para a construção de um futuro sustentável para suas escolas, comunidades, municípios, territórios, regiões, para o Brasil e o Planeta. Durante a Conferência Estadual serão apresentados e selecionados os projetos de ação construídos nas etapas anteriores, trazendo a dimensão social e política sobre a questão da Água em seus múltiplos aspectos. Dentre estas etapas, acontece a etapa escolar que deverá ser realizada pelas unidades até 31 de março.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado, Fábio Barbosa, falou sobre a importância da participação das escolas. “Já começamos com esta mobilização nas escolas para que todos se apropriem das informações e, consequentemente, comecem a promover essa discussão, levar esse diálogo para o currículo escolar, envolvendo os estudantes e, a partir daí, possam elaborar projetos de ação sobre a conservação dos recursos hídricos em nosso Estado, levando-se em consideração, principalmente, a realidade local”, explicou, ao enfatizar que informações com o detalhamento das etapas estão disponíveis no link do Portal da Educação.

Presente ao painel sobre a Conferência Infantojuvenil do Meio Ambiente na ALBA, a estudante Milena de Jesus, 13, 8º ano, do Colégio Estadual Pinto de Aguiar, ficou entusiasmada. “Este debate é muito interessante e importante para todos nós. Na minha escola, já estamos pensando na gincana ecológica que acontecerá este ano e terá como tema a água, por isso estamos aqui”, contou.

Para sua colega Natália Albergaria, 15, 9º ano, é essencial a realização de atividades ligadas à preservação do meio ambiente. “Acho a Educação Ambiental nas escolas um projeto conscientizador. Aprendendo sobre como cuidar do ambiente onde vivemos, poderemos almejar um futuro melhor e esse processo tem que partir de nós, uma nova geração mais consciente”, pontua.

Mais sobre a Conferência – A Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente é um processo pedagógico, participativo e democrático, que reúne estudantes, professores e comunidade escolar para pesquisar, dialogar e refletir sobre as questões socioambientais, elaborar um projeto de ação com o objetivo de transformar a realidade e escolher representantes que levem adiante as ideias acordadas entre todos.

O processo tem como proposito mobilizar e propiciar atitudes responsáveis e comprometidas com a questão da água, considerando os aspectos local e global, por meio da participação social; contribuir para a implementação das Políticas Nacional e Estadual de Educação Ambiental, das diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental e da Resolução Nº 11, do Conselho Estadual de Educação (CEE); qualificar uma nova geração que contribuirá com soluções coerentes, frente aos problemas socioambientais que afligem a realidade local e o mundo atual e discutir caminhos que transformem a escola em um Espaço Educador Sustentável.

Pinheiro anuncia encontro internacional Virtual Educa para junho na Bahia

download

O XIX Encontro Internacional Virtual Educa, um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, vai acontecer entre os dias 4 e 8 de junho, em Salvador. O anúncio foi feito pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, durante a aula inaugural da rede estadual, nesta quarta-feira (21), no Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque.

“Este não é um encontro de tecnologia, mas para que a gente possa entender como é possível, contextualizando a Educação, mas enxergando cada território, promover a transformação social. Sou parceiro deste encontro desde sua primeira edição. No ano de 2015, no México, disputamos sediar o Virtual Educa com a Argentina. Depois, em 2017, na Colômbia, a Bahia já sacramentou o Virtual Educa. Tanto é que encerramos na Colômbia o ritual de passagem para 2018 aqui na Bahia”, disse Pinheiro.

O secretário também anunciou que o encontro vai ser realizado no Centro Estadual de Educação Profissional em Apoio Educacional e Tecnologia da Informação Isaías Alves (antigo ICEIA), que está passando por uma ampla reforma. “O ICEIA será o novo modelo de escola em Salvador. Vai sediar o Virtual Educa e vai continuar sendo uma escola. Mas agora, voltando ao passado e contextualizando sua ação para o futuro, o ICEIA vai ser um grande centro de formação para professores, será um espaço para fazer encontros e congressos e para a exposição permanente de obras artísticas dos talentos da nossa Educação. O ICEIA terá seu teatro de volta, o segundo maior teatro de Salvador, que está sendo totalmente recuperado. Para se ter uma ideia, a última artista que se apresentou nesse teatro, antes de ser fechado, foi exatamente Elis Regina”, lembrou Pinheiro.

A mais recente edição do encontro internacional reuniu mais de 29 mil pessoas em Bogotá, na Colômbia, em junho de 2017. De acordo com o secretário geral do Virtual Educa, José María Antón, a Bahia foi escolhida para sediar a próxima edição por diversos fatores preponderantes, a exemplo da diversidade cultural, localização, destaque em projetos educacionais e a vinculação com a África, continente que pela primeira vez participará do programa.

O Virtual Educa é uma iniciativa criada em 2001 com a Organização dos Estados Americanos (OEA), cujo objetivo é promover a inovação na Educação para promover a transformação social e o desenvolvimento sustentável, especialmente na América Latina e no Caribe. O Virtual Educa opera por meio de uma aliança de organizações internacionais, agências multilaterais e instituições públicas e privadas, que reúne os setores público, empresarial, acadêmico e da sociedade civil.

Nesta edição do encontro, será lançado o programa Think Blue, do Banco Mundial, que visa estabelecer um marco mundial sobre a economia do mar, com foco na sustentabilidade e na economia sustentável.

 

Educadores participam de formação na USP em programa da Embaixada Americana sobre o estudo da Ciência

download (5)

Dois educadores da rede estadual de ensino estão representando a Bahia e participando da formação no Programa de Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática (STEM TechCamp Brasil 2018), realizado, durante esta semana, na Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. A coordenadora do Programa Ciência na Escola (PCE), da Secretaria da Educação do Estado, Shirley Costa, e o professor de História, Delmaci Ribeiro de Jesus, que leciona no Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Góes, localizado em Catu (91 km de Salvador), foram selecionados pela organização do STEM pelo relato das iniciativas e projetos desenvolvidos na rede estadual de ensino da Bahia para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes nas áreas relacionadas.

Até esta sexta-feira (22), eles participam de atividades de sensibilização e formação. Além disso, trocam experiências e conhecem outras práticas educacionais desenvolvidas em diferentes regiões do Brasil. O STEM TechCamp Brasil 2018, que é uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, tem o objetivo de estruturar uma rede de multiplicadores formada por gestores das Secretarias Estaduais de Educação e professores líderes de ações escolares em Ciências, Tecnologia, Engenharias e Matemática (STEM), com potencial para implantar novas ações voltadas à aprendizagem ativa de STEM nas redes públicas de Educação Básica do Brasil.

Para Shirley Costa, o encontro está sendo muito produtivo. “A participação neste evento tem nos dado vários direcionamentos sobre o desenvolvimento e ampliação de novas atividades que envolvam STEM na Bahia e discutir essa temática, com todas as unidades da federação sobre iniciativas voltadas para este campo, nos dá uma visão de que estamos no caminho certo. Estar aqui junto com um professor da rede estadual da Bahia discutindo com outros estados nos mostrou novas perspectivas de ampliação do que o Ciência na Escola vem fazendo em toda a rede”, destaca.

O professor Delmaci de Jesus está compartilhando as experiências obtidas com o seu projeto “Clube de História”, que é desenvolvido na escola em que atua e trata da temática específica sobre “Estudo e Popularização da Cultura Afro-brasileira por Estudantes da Educação Básica”. “A importância de participar de um evento como este está justamente em compartilhar ideias e, também, ter contato com novas aprendizagens a partir de projetos que estão sendo desenvolvidos nas diferentes regiões do país. Esses dias estão sendo de muita aprendizagem, pois estou conhecendo ferramentas como ‘Classroom’ e ‘Design Thinking’, que serão úteis para ampliar o que eu já faço com os estudantes do Clube de História”, afirma.

Secretaria da Educação do Estado orienta estudantes sobre certificações para os Ensinos Fundamental e Médio

download (4)

O estudante, que não concluiu seus estudos no 9° ano do Ensino Fundamental ou no 3° ano do Ensino Médio, tendo três ou quatro disciplinas pendentes, pode obter sua certificação através dos exames aplicados pela Comissão Permanente de Avaliação (CPA) ou do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA). Caso o estudante não tenha como comprovar seus estudos também poderá receber sua certificação tanto pela CPA quanto pelo ENCCEJA.

Para certificar-se pela CPA, o candidato, com idade mínima de 15 anos para o Ensino Fundamental e 18 anos para o Ensino Médio, deverá acessar o site (cpa.educacao.ba.gov.br), preencher o cadastro e realizar a inscrição nos dois primeiros dias úteis de cada mês [escolas.educacao.ba.gov.br/examesupletivo](acesse o calendário). Após isso, deve dirigir-se à escola estadual de sua escolha munido dos documentos como duas fotos 3×4 (iguais e recentes), Carteira de Identidade e CPF (original e cópia) e agendar os dias e horários de aplicações das provas. Ao concluir todos os exames, o candidato poderá solicitar a sua certificação. Caso seja reprovado em alguma disciplina, o candidato somente poderá realizá-la após 60 dias de intervalo.

Nos exames de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio, as avaliações incluirão os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa com Redação, Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Estrangeira Moderna (Ensino Fundamental) e Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Redação, Língua Estrangeira Moderna, Matemática, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Química, Física e Biologia (Ensino Médio).

Os candidatos, acima de 18 anos, que participaram do último Exame Nacional ENCCEJA, realizado em 19 de novembro de 2017, podem dirigir-se à uma unidade certificadora para requerer seus certificados de conclusão tanto do Ensino Fundamental quanto do Ensino Médio. Neste caso, os documentos necessários são duas fotos 3×4 (recentes e iguais), original e cópia da Carteira de Identidade e do CPF, além do resultado impresso do exame que pode ser encontrado no site (enccejanacional.inep.gov.br). O prazo estimado para a entrega é de 30 a 60 dias.

As unidades certificadoras disponíveis em Salvador são: Colégio Estadual Governador Roberto Santos, localizado no bairro do Cabula; o Centro Estadual de Educação Magalhães Neto, localizado nos Barris, o Colégio Estadual Duque de Caxias, localizado no bairro da Liberdade. Para consultar as unidades certificadoras em toda a Bahia, o candidato deve acessar o [escolas.educacao.ba.gov.br/examesupletivo]link no Portal da Educação.

Documentos Certificadores – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) é responsável pela elaboração, gestão da aplicação e correção das provas. A emissão dos documentos certificadores é de responsabilidade da Secretaria da Educação do Estado ou da instituição educacional que firmar Termo de Adesão com o INEP. São duas opções: Certificado e Declaração de Proficiência. O primeiro reconhece, oficialmente, que o educando cumpriu na íntegra todos os componentes curriculares do núcleo comum dos Ensinos Fundamental ou Médio. A segunda é a certificação parcial que comprova que o participante conseguiu cumprir um ou mais componentes curriculares nas áreas avaliadas pelo ENCCEJA.

Aula Inaugural: Pinheiro destaca avanços para fortalecer o eixo pedagógico na rede estadual

O fortalecimento do eixo pedagógico das escolas estaduais, por meio da implantação de projetos, realização de concurso público e formação de professores, é um dos destaques para o ano letivo 2018 na rede estadual de ensino. A afirmação foi feita pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, nesta quarta-feira (21), durante o Programa de Abertura do Ano Letivo – Aula Inaugural, no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´ Água, em Salvador.

“A grande novidade da Educação é o que discutimos nas escolas, em 2017, com todos os gestores escolares durante o Diálogo com Gestores, envolvendo o currículo, a nova Base Nacional Comum Curricular, a Educação Profissional e Tecnológica, ou seja, uma Educação reformulada, com uma escola contextualizada em cada território, que oferte Música, Teatro, mas, também, oferte Ciência, Robótica e cursos de curta duração, uma escola que tenha inovação e que, efetivamente, prepare os estudantes para a vida”, afirmou.

Para tanto, Pinheiro citou o acesso à internet em banda larga, por meio de fibra ótica ou via rádio, em todas as escolas estaduais até o final do ano, estando em curso a instalação de 320 pontos de satélite no interior e já consolidado o processo nas escolas da capital. Outras medidas, neste sentido, são a ampliação dos projetos de arte e cultural nas escolas; a implantação de novas Escolas Culturais; e a realização, na Bahia, da 19ª edição do encontro internacional Virtual Educa, no próximo mês de junho.

Formação - O secretário destacou, em especial, os investimentos do Estado no quadro do magistério. Citou a realização do concurso público com 3.760 vagas para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino, cujas provas serão realizadas domingo (25), na capital e no interior. Lembrou das parcerias com as universidades públicas que contemplam, dentre outras coisas, a oferta de cursos na modalidade Educação a Distância (EaD), de modo a beneficiar estudantes que moram no interior do Estado e, principalmente, para a formação de professores.

“Estamos comemorando o início, ontem, do curso online Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais, para mais de 24 mil professores e coordenadores pedagógicos, em parceria com a Universidade Federal da Bahia. Estamos recebendo telefonemas de todo o Brasil, dos secretários querendo saber qual é a nossa plataforma, como a gente está conseguindo oferecer este curso para tantos educadores de uma vez só”, afirmou, ao acrescentar que o curso valoriza a carreira do magistério com formação e, também, com ganhos salarias, uma vez que os concluintes terão um ganho médio de 14% em seus vencimentos, até maio de 2019.

Novos projetos - Aliado a isto, o secretário falou, ainda, sobre os novos projetos que irão imprimir pedagogia inovadora nas escolas. “Também teremos programas como o Inova Escola, desenvolvido em parceria com a Fundação Telefônica Vivo e lançado, ontem, no Colégio Estadual Norma Ribeiro, no bairro de Arenoso, em Salvador. Com este programa, vamos desenvolver e implementar inovações educacionais que potencializem a aprendizagem e conectem a educação pública com as competências do século XXI!”, afirmou.

Outra novidade é o Programa o e-Nova Educação, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com o Google INC, que inclui a formação de professores e o uso de um Ambiente Virtual de Aprendizagem de última geração, dinamizando os processos de ensino e aprendizagem e configurando uma rede social de conhecimentos que integra estudantes e professores. “Todas estas medidas são adotadas para que a escola faça a Educação para transformar e, portanto, criando um novo ambiente, com uma pedagogia do século XXI, no qual todos, professores, gestores e alunos, possam fazer parte, sendo a escola contextualizada, pisando no seu território e pensando no futuro”, completou.

Aula inaugural da rede estadual é marcada por protagonismo estudantil

Os estudantes das escolas estaduais foram os grandes protagonistas do Programa de Abertura do Ano Letivo – Aula Inaugural – realizado, nesta quarta-feira (21), no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´ Água, em Salvador. Vindos de diferentes Núcleos Territoriais de Educação (NTE), eles encantaram o público com apresentações de projetos científicos, música, dança, poesia, de audiovisual e outras práticas formativas e educativas, em suas distintas linguagens, que são desenvolvidas nas escolas para promover o protagonismo estudantil. A aula contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e dos irmãos Macedo, Armandinho, André e Aroldo, em uma homenagem a Dodô e Osmar.

Ao dar as boas-vindas ao público, o secretário Walter Pinheiro destacou as ações que estão sendo desenvolvidas para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Hoje é um dia muito especial em toda a rede que, este ano, começa a experimentar algumas práticas pedagógicas que, inclusive, foram colhidas ao longo de todo o ano letivo de 2017, a partir de um diálogo com gestores e professores e um debate envolvendo a nova base curricular e a própria reestruturação do método pedagógico; a chegada dos novos coordenadores pedagógicos; o concurso que será realizado no dia 25; a mudança do ponto de vista de funcionamento com a chegada da internet da escola; a transformação do ponto de vista também da formação continuada para os nossos professores. Inclusive, ontem, iniciamos de forma pioneira no país uma formação para 24 mil professores, em parceria com a Universidade Federal da Bahia”, afirmou.

Pinheiro destacou como a escola está preparada para o ano letivo 2018. “Os nossos alunos estão encontrando um ambiente escolar e a perspectiva de uma virada fenomenal na Educação, com a introdução das Escolas Culturais, com novas práticas. Este ano, vamos ter diversos cursos no Ensino Médio nas áreas de teatro, dança, música, ciências, cursos de curta duração, inclusive associados ao empreendedorismo, trazendo para escola o caminho de volta, a oportunidade para aqueles que não puderam frequentar a escola na idade certa, mas hoje estão no mercado do trabalho. Este ano, o contexto principal é a territorialidade. Fizemos no início do ano uma boa Jornada Pedagógica e vamos fazer outra no meio do ano, como ocorreu no ano passado. E vamos seguir cumprindo as metas que o governador Rui Costa traçou que são, até o final do ano, todas as nossas escolas com ofertas de diversas frentes e, até 2019, com a chegada da oferta à distância em nível superior, principalmente, nas nossas escolas espalhas pelo interior do Estado”.

Protagonismo – Durante o programa, projetos desenvolvidos pelos estudantes e de grande alcance social foram apresentados. As estudantes Adrielle Bispo, 18 anos, e Islaine Medeiros, 17, do 4º ano do curso técnico de nível médio em Recursos Humanos, do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães, em Alagoinhas, falaram um pouco sobre o trabalho social “Da escola para o mundo”, realizado no âmbito do Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado.

“Com o alto índice de violência do nosso bairro, decidimos realizar atividades que pudessem promover a socialização da comunidade trazendo-a para a escola no fim de semana. Por isso, realizamos diversas ações, como aulas de violino, violão e artesanato, além de atendimentos na área de psicologia. A ideia é ampliar para projetos dentro do universo do hip-hop, como grafite e rima. Com um ano de projeto conseguimos mudar a realidade de muitas pessoas”, contou Islaine.

Adrielle ainda destacou o reconhecimento dado ao projeto até internacionalmente. “Participamos de algumas mostras apresentando o trabalho que teve ótima repercussão. Fomos o único projeto escolhido para representar a Bahia no Criativos da Escola, em 2017. E através de uma premiação no Pará estamos selecionadas para a Mostra Latino Americana, no Peru, que acontece em outubro”, disse orgulhosa.

Também foram apresentados os oito estudantes da rede estadual que fazem parte do projeto Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC Júnior), promovido em parceria entre o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Salvador e a Faculdade Baiana de Medicina, que promove a iniciação científica para alunos do Ensino Médio. “Estamos divididos em diversas áreas, como cardiologia, ortopedia, odontologia e saúde pública, onde trabalhamos auxiliando os profissionais na pesquisa através de artigos, banco de dados ou trabalho de campo. Está sendo fantástica essa experiência, pois abre nova perspectiva sobre o lado profissional. Acredito que todos os participantes agora estão muito empolgados para seguir essa área de saúde”, explicou Natiana Rodrigues, 16, estudante do 2º ano do Colégio Estadual da Bahia – Central, no bairro de Nazaré.

Na área artística, que contou com apresentação de música, poemas, contos e vídeos, a ex-estudante Fabíola Pereira, 18, do Colégio Estadual Camilo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, premiada como “melhor atriz” na categoria Ensino Médio, do III Festival Internacional de Cinema Escolar de Alvorada (RS), falou da experiência de contar com um projeto de artes na rede estadual. “Com o projeto de teatro do CJCC de Vitória da Conquista, tive a oportunidade de conhecer um talento que não tinha explorado. E com isso, ainda pude ter essa grande experiência de participar do curta-metragem ‘Cicatrizes’ que me proporcionou esse prêmio. É muito importante o trabalho que está sendo realizado de trazer a arte para as escolas, como algo integral do currículo”, ressaltou.

Veja todas as fotos: https://flic.kr/s/aHsktupfGM

Mais de 24 mil educadores da rede estadual iniciam curso sobre Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais

download (2)

Professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual iniciaram, nesta terça-feira (20/02), o curso online “Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais”. Desenvolvido na modalidade de Educação à Distância (EAD), o curso objetiva tornar evidente na prática pedagógica a natureza transformadora das tecnologias educacionais, seja na vertente operacional ou na humanizadora, no processo de ensino e aprendizagem nas diversas áreas do conhecimento. Ainda como forma de valorizar os educadores, os participantes concluintes do curso terão um ganho médio de 14% em seus vencimentos, até maio de 2019.

Para o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, o curso fortalece o eixo pedagógico das escolas e valoriza a carreira do magistério estadual. “Esta é a primeira experiência no Brasil a fazer uma formação com esta quantidade de educadores envolvidos, com mais de 22 mil professores e coordenadores pedagógicos. Isto serve não só para a formação continuada como, também, para a promoção dos nossos professores e coordenadores pedagógicos. É a qualificação da nossa rede, ao mesmo tempo em que a gente, também, vai ao encontro do desejo de cada educador deste de crescer, efetivamente, na carreira”, afirmou.

A professora Lucília Coimbra, do Colégio Estadual Henrique Brito, falou sobre a importância da Secretaria da Educação do Estado em realizar formações para os educadores. “É fundamental que seja promovida a capacitação dos professores para que possamos aplicar essas metodologias na sala de aula. Com o curso, podemos estar atualizados sobre as novas ferramentas para o uso pedagógico no processo de ensino e aprendizagem, além, é claro, do ganho nos nossos vencimentos, o que mostra um real comprometimento com a valorização em todos os aspectos do professor”, disse.

Também do Henrique Brito, a articuladora da Educação Integral, Rose Meiguez, ressaltou que a formação contribui para a qualidade do ensino. “A qualificação dos educadores resulta diretamente na melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. São necessárias essas formações para que possamos desenvolver novas habilidades, sempre antenados com o que há de mais avançado na área pedagógica, para que possamos implantar no dia a dia da unidade escolar”, contou.

O vice-diretor Arthur de Oliveira Neto, do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Biotecnologia e Saúde, em Itabuna (a 438 km de Salvador), na Região do Litoral Sul, também falou sobre a iniciativa. “Esta proposta é excelente, porque qualifica a educação pública. Com uma rede de informação cada vez mais rápida, por meio da Internet e outras tecnologias, os professores têm que estar atualizados, e, de certa forma, é uma iniciativa que incentiva os educadores tanto no aspecto formativo quanto no salarial”, avaliou.

Sobre o curso - As aulas serão realizadas fazendo uso de uma estrutura tecnológica e metodológica que possibilitará aos professores e coordenadores pedagógicos acessá-lo por meio de ambiente virtual de aprendizagem, através do Moodle Ufba. Para o acesso, o educador deverá fazer uso do nome de usuário e senha fornecidos através do e-mail informado no ato da inscrição.

O curso terá a carga horária integral de 120h e será constituído de dois módulos de 60h cada. O primeiro terá três etapas divididas em: Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) para a comunicação e coleta de dados (25 h); TDIC para Comunicação, Produção e Colaboração (25 h); e Avaliação do Módulo (10 h). O segundo módulo também terá três etapas divididos em: TDIC para Organização e Criação (25 h); Ambientes Virtuais de Aprendizagem (25 h); e Avaliação do Módulo (10 h). Para a conclusão do curso “Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais” serão exigidos o aproveitamento com média 6,0 e a frequência mínima de 75% da carga horária total do curso.

 

Educadores são certificados em curso de pós-graduação na área Ambiental

download download (1)

Professores das redes públicas estadual e municipal, agricultores familiares e técnicos da área de Gestão da rede física das escolas dos municípios baianos de Dias D´Ávila e Esplanada, concluintes do curso de pós-graduação lato sensu em “Educação Ambiental e Espaços Educadores Sustentáveis”, foram certificados nesta terça-feira (20), no auditório da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Participaram da atividade de culminância os 78 cursistas da especialização promovida pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Minas Gerais, em parceria com a Secretaria da Educação do Estado.

Sob a coordenação da professora de Gestão Ambiental e Sustentabilidade e responsável pelo programa de Educação Ambiental da Universidade Federal de Ouro Preto, Dulce Pereira, o curso, realizado no âmbito da Educação à Distância (EAD), foi composto de disciplinas obrigatórias, totalizando 360 horas, 24 créditos e apresentação de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). A educadora ressaltou a importância da formação, dentro do processo de transversalização da Educação Ambiental no sistema de ensino.

“O curso é dedicado a cumprir os grandes acordos internacionais da Educação Ambiental e os cursistas saem preparados para atuar no sistema de ensino, em seus Territórios, dentro da visão de que as escolas são espaços educadores sustentáveis e podem se tornar centros vivos de ciências, tendo os estudantes como difusores e líderes em suas comunidades nos processos de sustentabilidade. Isto implica trabalhar com a gestão e o espaço físico, bem como adequar os currículos”, ressaltou a coordenadora, completando que a especialização formou cidadãos na perspectiva das ciências e tecnologias, bem como no reconhecimento dos saberes locais e na articulação com as comunidades.

 

Cursistas qualificados – O cursista Harrisson Tavares, professor de Sociologia do Trabalho em Psicologia Social e coordenador pedagógico do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) de Valença, falou sobre a importância de ter participado da formação. “Como no CEEP temos o curso técnico de Meio Ambiente, a pós-graduação vem para nos proporcionar o aprofundamento da pesquisa na área de Educação Ambiental, nos dando subsídios para uma atuação mais eficaz na escola”.

Luciano de Souza, profissional formado em Gestão Ambiental, também cursista, destacou que o curso é uma importante complementação para a sua formação, especialmente no que se refere ao uso e reuso das águas, focado na questão da economia e da mudança de hábitos. “Temos em Esplanada um projeto recente de revitalização da nascente Ladeira da Bica, que estava abandonada há mais de 20 anos. Sinto-me mais qualificado agora para continuar fazendo parte do Conselho de Meio Ambiente do município onde resido”.

Projeto político-pedagógico – O curso de pós-graduação faz parte do projeto político-pedagógico da Secretaria da Educação do Estado, no que se refere à escola, à gestão e ao currículo, como prevê a Política Estadual de Educação Ambiental (Lei nº 12.056/2011. “Nosso objetivo com as parcerias que fazemos com as universidades visam a qualificação dos nossos professores, principalmente no que tange às discussões em torno da escola sustentável e espaços educadores sustentáveis e, consequentemente, colabora para a implantação da política estadual de Educação Ambiental”, detalhou o coordenador deEducação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação, Fábio Barbosa. O evento visou, ainda, mobilizar os presentes para a 3ª Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que acontecerá em maio.

A diretora de Ensino Médio da Secretaria da Educação, Tereza Farias, destacou a importância do trabalho de educação continuada. “Estamos trilhando esse percurso na perspectiva de atuamos nas linhas de frente do trabalho em seus Territórios, com o objetivo de contribuir para a construção de uma sociedade socioeducacional mais justa, a partir da aproximação da realidade das escolas, consolidando nos estudantes a consciência de cidadãos para que eles sejam mais éticos e mais engajados para a construção de um mundo mais sustentável”.

 

Pinheiro destaca inovações na rede estadual durante o #PapoCorreria com o governador Rui Costa

As ações que estão sendo implementadas nas escolas estaduais, para promover uma Educação com o fortalecimento do eixo pedagógico e inovação, foram destacadas pelo secretário Walter Pinheiro, nesta terça-feira (20), durante o #PapoCorreria, no perfil oficial do governador Rui Costa, no Facebook. Na pauta, questões como o lançamento do Programa ‘Inova Escola’, lançado no Colégio Estadual Norma Ribeiro (antigo Colégio Estadual Antônio Sérgio Carneiro), no bairro de Arenoso, em Salvador, em parceria com a Fundação Telefônica Vivo.

Pinheiro disse que o Inova Escola visa desenvolver e implementar inovações educacionais que potencializem a aprendizagem e conectem a educação pública com as competências do século XXI. “Isto é um pouco da experiência que se trava no mundo hoje, que se chama de Escolas conectadas ou Escolas do futuro e, neste particular, eles chamam de Inova Escola, ou seja, inovação. É uma inovação que, para nós, do ponto de vista do Programa Educar para Transformar, significa a mudança do eixo pedagógico. Portanto, temos uma escola que ganhou muitos equipamentos, que vai trabalhar com ferramentas tecnológicas mais avançadas, mas a grande mudança nesta escola é, realmente, o eixo pedagógico, de mudança da concepção, do contexto das salas, da forma das aulas, no processo de interação dos professores com os estudantes”, afirmou Pinheiro, ao destacar que a comunidade do Arenoso ganhou um equipamento com a oferta da Educação Integral e também, com Educação Profissional e Empreendedora. Ele disse que até junho deste ano, mais 652 escolas da rede estadual terão o que ele chamou do “mesmo padrão pedagógico”.

Na oportunidade, o secretário também falou sobre o reordenamento que está sendo realizado na rede estadual para oferecer aos estudantes, escolas com melhores estruturas. “O que o Estado está fazendo é abrir escolas em boas condições. Em lugares onde tínhamos prédios alugados, onde não havia a menor condição de funcionamento, os alunos estão sendo redistribuídos para as escolas no entorno e estamos fazendo isso em todo o Estado. O Edvaldo Fernandes, por exemplo, próximo ao Colégio Estadual Norma Ribeiro, ganhará uma ampliação, um ginásio de esportes coberto, salas de aulas ampliadas, e estamos fazendo isto em todo o Estado, priorizando a mudança do eixo pedagógico, para ofertar uma educação de qualidade e preparando os nossos jovens para a vida o que é o mais importante”.

Ainda neste sentido, Pinheiro destacou a construção de escolas e citou o novo Colégio da Polícia Militar, em Barreiras. “Hoje estamos com 178 milhões em obras no Estado, em mais de 500 prédios. Eu até conversei com o governador hoje pedindo a ampliação do orçamento, para a gente completar outra etapa e, portanto, até o final do ano, devemos entregar, provavelmente, mais de 450 milhões em obras nas escolas, não só em estrutura física, como também em aquisição de equipamentos e na importante ação que estamos começando hoje, com mais de 22 mil professores fazendo o curso de Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais à Distância, conduzido pela Universidade Federal da Bahia”.

O secretário falou, inclusive, sobre os conteúdos digitais educacionais disponibilizados no Portal da Educação e que são elaborados por professores da rede referenciados nas características sociais, geográficas e culturais dos Territórios de Identidade da Bahia, como outro importante instrumento pedagógico para a qualidade da Educação.

O #PapoCorreria também abordou a realização do concurso público com 3.760 vagas para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino, cujas provas serão realizadas domingo (25), na capital e no interior. Na pauta, também está o acesso à internet em banda larga, por meio de fibra ótica ou via rádio, em todas as escolas estaduais até o final do ano, estando em curso a instalação de 320 pontos de satélite no interior e já consolidado o processo em todas as escolas da capital.

Destaque, também, para a implantação dos projetos culturais, para a ampliação da oferta da Educação Profissional e Tecnológica que chegou a 140 mil matrículas em 2018, além de outras políticas públicas voltadas para a juventude como os programas Partiu Estágio, Mais Futuro e Primeiro Emprego. Neste sentido, Pinheiro falou sobre as parcerias com as universidades públicas da Bahia para a oferta de cursos na modalidade Educação à Distância (EAD), de modo a beneficiar estudantes que moram no interior do Estado.

Aula inaugural – O secretário também falou sobre a aula inaugural na rede estadual de ensino que será realizada, nesta quarta-feira (21), no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´Água, com transmissão, ao vivo, pela TVE Bahia (Canal 10.1).