Escolas estaduais realizam matrícula para novos estudantes do Ensino Fundamental nesta sexta-feira (19)

Estudantes da rede estadual vivenciam experiências como jovens embaixadores nos Estados Unidos

download (12)

Estas últimas semanas do mês de janeiro estão sendo de novas experiências e aprendizagens para os quatros estudantes da rede estadual de ensino que estão nos Estados Unidos, participando do intercâmbio cultural através do Programa Jovens Embaixadores 2018. Eles integram o grupo de 50 jovens de escolas públicas do Brasil, selecionados pelo programa para vivenciarem a rotina de jovens embaixadores, participando de diferentes atividades. O intercâmbio, iniciado no dia 12 de janeiro, será concluído em 4 de fevereiro, com o retorno dos estudantes ao Brasil.

Isaías Sales, 17 anos, Lucca Lucciola Cassola,17, ambos do Colégio Estadual Raphael Serravalle, Pedro José Ferreira, 17, do Colégio Estadual Thales de Azevedo, em Salvador, e Juan Carlos da Silva,16, do Colégio Estadual Vilobaldo Campos, da cidade de Boquira (651 Km da capital), no Centro Sul do Estado, já passaram pela capital dos EUA, Washington, e, agora, em grupos, embarcarão para diferentes cidades americanas, onde ficarão hospedados em casas de famílias voluntárias.

Os jovens participarão de reuniões com autoridades do governo dos EUA, líderes de ONGs, visitarão escolas e projetos sociais, participarão de atividades de voluntariado e, como representantes da juventude brasileira nos EUA, farão apresentações sobre a Bahia, sua cultura e seu povo. No final da viagem, eles apresentarão um plano de ação na área de justiça social e voluntariado que será implementado em suas comunidades, após o retorno ao Brasil.

O estudante Pedro José Ferreira conta que está aproveitando ao máximo a viagem para conhecer um pouco sobre a cultura do país. “O programa Jovens Embaixadores tem sido uma oportunidade incrível para mim. Através desse intercâmbio cultural e sua imersão na comunidade estadunidense eu estou tendo a chance de vislumbrar minha realidade de um outro ponto de vista. O programa possui um apelo extremamente social. Portanto, estar em contato com distintas atividades voluntárias – que atuam positivamente em suas regiões – me faz pensar e idealizar projetos úteis que podem ser aplicados em minha comunidade. Sou muito grato por fazer parte dessa experiência. Isso só me inspira para continuar melhorando quem eu sou e aqueles ao meu redor”, revelou, entusiasmado.

Sobre a rotina de atividades, ele informa que em Washington conheceu o centro de conferência estudantil 4-H e participou de uma passeata em comemoração ao Dia de Martin Luther King, juntamente com os demais jovens embaixadores. Nesta sexta-feira (19) ele embarca num voo para a cidade de Reno, no estado de Nevada. “Iremos participar de imersões na cultura americana visitando alguns pontos turísticos, indo às escolas, conhecendo os trabalhos sociais que eles fazem na região e aprendendo sobre os costumes locais. Iremos apresentar sobre o Brasil, e nossas respectivas cidades também”, completa.

Juan Carlos acredita que a experiência no país estrangeiro abrirá novos caminhos na sua vida. “Estou muito feliz. Acho que o Programa Jovens Embaixadores vai abrir muitas portas, dar um peso positivo no meu currículo e me dar várias oportunidades. Até já recebi convites para falar sobre o programa em escolas daqui da cidade e de municípios vizinhos”, conta o estudante. Já Isaías Sales, que dá aulas de Inglês de forma voluntária em sua escola diz que: “Nesse Intercâmbio, quero aprender mais como dar continuidade ao meu trabalho e ensinar a outros jovens a fazer o mesmo que eu”, declara.

O programa – Criado em 2002, por iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, desenvolvida em parceria com o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), o Ministério da Educação (MEC), o Programa Jovens Embaixadores busca valorizar estudantes brasileiros da rede pública de ensino, que sejam exemplos em suas comunidades por sua liderança, atitude positiva, consciência cidadã, excelência acadêmica e conhecimento da língua inglesa.

 

Estudantes da rede estadual são selecionados para competição internacional de Robótica

download (10) download (11)

 

Estudantes da oficina de Robótica, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Salvador, foram selecionados para participar da etapa região do Torneio de Robótica First Lego League. Trata-se de um programa internacional de exploração científica, projetado para fazer com que crianças e jovens de 9 a 16 anos se entusiasmem com ciência e tecnologia e adquiram habilidades valiosas de trabalho e de vida. A etapa regional do torneio será realizada no Sesi do bairro do Retiro, em Salvador, nos dias 23 e 24 de janeiro.

Criado em 1998 pela First, em parceria com o Grupo Lego, o torneio propõe que estudantes sejam apresentados ao mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, por meio da construção e programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia Lego Mindstorm. A equipe Robograma, do CJCC de Salvador, formada por dez estudantes, está finalizando os últimos detalhes para a apresentação, que vai contar com um robô Lego e um projeto de pesquisa voltada para o tema do torneio: Hidrodinâmica.

O professor de Robótica, Elton Barreto, fala que a participação em um torneio deste nível é uma conquista muito importante para os estudantes que, mesmo no período de férias escolares, estão envolvidos no aperfeiçoamento do robô. “Estamos desenvolvendo um projeto para a competição, no qual pretendemos estar aptos a realizar todas as missões determinadas pelo torneio. Também vai ser apresentado um projeto de pesquisa que busca reaproveitar a água que fica na pia, como parte de um dos quesitos da prova que leva o tema ‘Hidrodinâmica’. Esperamos nos classificar e participar da etapa nacional, no mês de março, no Paraná”, destacou.

Em sua primeira competição, o estudante do 1º ano, Ítalo Gabriel, 15 anos,  que estuda no Colégio Estadual da Bahia (Central) e faz a oficina de Robótica no CJCC, fala da expectativa de participar do torneio. “Sempre tive interesse por eletrônica e participar da oficina de Robótica é uma oportunidade de aprender muito sobre o assunto. Estou muito empolgado com a nossa participação do torneio e estamos preparados para ficarmos bem colocados na competição”, disse.

Premiados – Os estudantes que fazem cursos e oficinas nos Centros Juvenis estão se destacando em diversas competições de Robótica. Para se ter uma ideia, em 2017, projetos apresentados pelos estudantes dos Centros Juvenis de Salvador, Itabuna e Vitória da Conquista conquistaram premiações nas categorias “Programação”, “Design” e Maker, na etapa Regional Bahia da Olimpíada Brasileira de Robótica, realizada durante a Campus Party, em Salvador. O prêmio de melhor programação ficou com a equipe “Robograma 09”, de Salvador, o de design foi para a equipe de Itabuna e o Maker, para os estudantes de Vitória da Conquista.

Já os projetos desenvolvidos pelos estudantes do CJCC de Vitória da Conquista, o Robótica Educacional e o Choices, receberam Menção Honrosa na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada em julho, em Belo Horizonte, ficando entre os 12 que receberam a honraria em todo o país.

O Choices é um jogo interdisciplinar de cartas digitais sobre hábitos alimentares saudáveis, que proporciona uma ação educativa capaz de despertar nos estudantes a consciência para o cuidado com a saúde. Já o projeto de Robótica Educacional oferece a possibilidade de realização, por exemplo, de uma programação com a placa de arduíno (plataforma de hardware e software, criada para auxiliar no ensino de eletrônica), visando ampliar o acesso de jovens a novas experiências educativas. O foco é o estudo do aplicativo da Robótica para o desenvolvimento de diferentes habilidades, como o trabalho colaborativo, o raciocínio lógico e a criatividade.

Além dos Centros em Salvador, Itabuna e Vitória da Conquista, a rede estadual conta, também, com o CJCC em Barreiras e Senhor do Bonfim. Os Centros Juvenis beneficiam estudantes com cursos e oficinas ministrados no turno oposto os quais estão matriculados no ensino regular.

Secretaria da Educação do Estado cadastra entidades para a emissão da carteira estudantil

download (9)

A Secretaria da Educação do Estado publicou a portaria Nº 35, no Diário Oficial desta quinta-feira (4), com os requisitos e procedimentos de habilitação de entidades representativas de estudantes para a emissão de carteira de identificação estudantil no exercício de 2018. A carteira de estudante é assegurada a todos os alunos regularmente matriculados em estabelecimentos de ensino público ou privado, garantindo o pagamento da metade do valor cobrado para o ingresso em casas de diversões e espetáculos, praças esportivas e outros locais.

Para solicitar a habilitação, a entidade representativa de estudantes deverá, no prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação da portaria, apresentar a documentação. O requerimento padrão para habilitação, a lista dos  documentos necessários para o cadastramento e as orientações para a confecção da carteira estudantil estão disponíveis no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).

Os documentos deverão ser entregues à comissão de análise e avaliação, na Secretaria da Educação, localizada na 5ª Avenida, 550 – Centro Administrativo da Bahia (CAB). O resultado das entidades habilitadas e os modelos de carteiras autorizadas estarão disponíveis no Portal da Educação, bem como as orientações e esclarecimentos de interesse da comunidade estudantil e de seus representantes.

 

Educadores participam de curso para implantação dos Escritórios Criativos nos Centros de Educação Profissional

download (8)

Com a finalidade de implantar 30 Escritórios Criativos nos Centros de Educação Profissional e Tecnológica, os vice-diretores articuladores do mundo do trabalho dos Centros de Formação Profissional e Tecnológica estão participando do curso “A Educação Profissional e Tecnológica (EPTEC) e os arranjos produtivos territoriais”. A iniciativa busca capacitar os educadores para atuarem no projeto, cuja proposta é integrar os cursos da Educação Profissional e Tecnológica nos 27 Territórios de Identidade da Bahia. A ação é realizada pela Secretaria da Educação do Estado, em parceria com o Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH).

O superintendente da Educação Profissional e Tecnológica da Secretaria da Educação, Durval Libânio, fala do processo de implantação dos Escritórios Criativos. “Essa capacitação faz parte de diversas atividades que estão sendo promovidas para a implantação dos Escritórios Criativos. Também teremos a rede de competências, que será um sistema para informar sobre os profissionais especializados nas universidades que poderão auxiliar no desenvolvimento de soluções para demandas surgidas pelos estudantes ou pequenos agricultores da região. Até o final de janeiro iniciaremos as reuniões para determinar o planejamento para cada localidade, visando o fomento e o apoio aos arranjos produtivos territoriais, conforme a economia, a sociedade, a cultura e o meio ambiente da região”, destaca.

Durval explica, ainda, como os Escritórios Criativos vão funcionar: “A ideia é a equipe ser formada pelo orientador junto a profissionais originados dos programas Primeiro Emprego, Mais Futuro e #partiuestágio. Eles vão auxiliar os interessados a resolverem problemas, como por exemplo a criação de uma marca para o produto de um pequeno agricultor. Caso precisem, eles entram em contato com especialistas nas universidades, que serão remunerados para ajudar no trabalho. O objetivo é dentro de cada escritório criar uma Empresa Júnior para integrar a Rede Baiana de Empresas Júnior, nos possibilitando parcerias, como a do Serviços em Inovação e Tecnologia – Sebraetec”, conta.

Capacitação - O curso, realizado através da Educação à Distância (EaD), possui carga horária de 80 horas e tem previsão de término em abril. A atividade acontece em dois blocos, sendo o primeiro com quatro módulos, correspondente ao curso básico, e o segundo, com dois módulos complementares e os ciclos de assessoria presencial, correspondente ao curso intermediário. Os temas são contínuos e complementares, de forma que os participantes aprendam à medida que produzem resultados concretos com base nas reflexões e experiências sobre a realidade prática vivenciada nos Centros de Formação Profissional e Tecnológica.

Terceiro dia de matrícula segue com estudantes oriundos das redes municipais

 

O terceiro dia de matrículas da rede estadual continua, nesta quinta-feira (18), para os estudantes concluintes das séries iniciais e finais do Ensino Fundamental, regularmente matriculados nas redes públicas municipais, no ano letivo de 2017, cujas escolas não oferecem a série subsequente. Os interessados podem realizar o processo de matrícula em qualquer escola da rede estadual até às 20h, não sendo, necessariamente, a unidade onde pretende estudar. Para o aluno que estudou em escolas municipais de Salvador ou dos 29 municípios do interior credenciados (ver lista abaixo), a matrícula também pode ser realizada pela internet no endereço www.educacao.ba.gov.br/matricula.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destaca que o processo de matrícula tem mobilizado todas as escolas e centros da Educação Profissional e Tecnológica da rede, mas chama a atenção que a etapa desta quinta-feira, dentro do cronograma estabelecido pela Secretaria, pode ser realizada através da Internet. “A Rede Estadual possui capacidade física estruturada para atender a todos os alunos que pretendem estudar em nossas escolas. Nesta etapa, os estudantes oriundos das redes de 30 municípios podem ser matriculados também pela internet. É importante frisar que, na matrícula do Ensino Médio, estamos inserindo uma série de novidades. Por exemplo, no Ensino Médio Profissional, estamos reduzindo o tempo do curso de quatro para três anos para que o estudante possa ter acesso mais ágil ao mundo do trabalho. Também teremos Educação Profissional nas escolas de ensino regular. Ofertas de cursos de curta duração e de duração plena. Um desafio para chegarmos até dezembro de 2018 em todas as escolas de Ensino Médio da Bahia com, pelo menos, um curso profissionalizante”, acrescenta Pinheiro.
Os municípios do interior credenciados para realização da matrícula pela internet são: Barra, Barreiras, Barro Preto, Barrocas, Camaçari, Catu, Dias D´Ávila, Encruzilhada, Esplanada, Eunápolis, Feira de Santana, Gongogí, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itamaraju, Lamarão, Luiz Eduardo Magalhães, Macaúbas, Madre de Deus, Porto Seguro, Rio Real, Simões Filho, Jequié, Lauro de Freitas, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.
Nesta sexta-feira (19) a matrícula do ano letivo 2018 da rede estadual de ensino será direcionado aos estudantes novos do Ensino Fundamental e suas modalidades (cursos de qualificação tecnológica; Jovens e Adultos – EJA; Inclusiva e Indígena).
Matrícula 2018 – No segundo dia de matrícula, que também atendeu estudantes oriundos das escolas das redes municipais foram registradas mais de 57.500 matrículas em todo o Estado. Somado ao primeiro dia mais o número de renovações, realizadas no mês de novembro, a rede estadual de ensino possui, até o momento, mais de 664.500 estudantes matriculados para o ano letivo de 2018.
- Cronograma da Matrícula 2018:
. 19/1 – Matrícula dos estudantes novos do Ensino Fundamental e suas modalidades (cursos de qualificação tecnológica; Jovens e Adultos – EJA; Inclusiva e Indígena);
. 22 e 23/1 – Matrícula dos estudantes do Ensino Médio e suas modalidades (Profissional e Tecnológica; Jovens e Adultos – EJA; Inclusiva e Indígena);
. 25, 26 e 29/1 – Confirmação de matrícula do público alvo da Educação Inclusiva que realizou a pré-matrícula em novembro de 2017.
Documentos: Original do Histórico Escolar ou Atestado de Escolaridade, firmado pela direção da unidade escolar (deve ser substituído pelo Histórico Escolar em até 30 dias); original e cópia da Carteira de Identidade (RG) ou Certidão de Registro Civil; original e cópia do CPF; original e cópia legível com data recente do comprovante de residência (água, luz, telefone fixo ou móvel, gás encanado, Internet, contrato de aluguel, IPTU, dentre outros); e o código do SETPS (que consta no Salvador Card) para as escolas do município de Salvador.
Matrícula pela internet no endereço www.educacao.ba.gov.br/matricula:
- Para estudantes da rede estadual;
- Para estudantes das redes municipais de Salvador e mais 29 cidades do interior credenciada

Secretaria da Educação do Estado reabre inscrições do curso de aperfeiçoamento para professores e coordenadores pedagógicos

download (7)

A Secretaria da Educação do Estado reabre, nesta sexta-feira (5/1), às 10h, as inscrições online para o curso “Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais”, destinado a professores e coordenadores pedagógicos dos Ensino Fundamental e Médio da rede estadual de ensino. Desenvolvido na modalidade de Educação à Distância (EAD), os educadores têm até 15 de janeiro, às 23h59, exclusivamente no endereço www.sec.ba.gov.br/inscricaoeventos/app/eventoInternet.asp, para efetuar a inscrição e garantir a vaga. O curso será iniciado no dia 1° de fevereiro de 2018.

O curso é mais uma ação estratégica do Estado para fortalecer o eixo pedagógico das escolas, valorizando a carreira dos educadores, pois os participantes concluintes do curso terão um ganho médio de 14% em seus vencimentos até maio de 2019. Quem se inscreveu na primeira etapa já recebeu o pagamento de 6% sobre o vencimento básico dos educadores em dezembro de 2017, referente à primeira promoção. Quem se inscrever nesta nova etapa deverá receber estes 6% em janeiro. O valor da segunda promoção será antecipado em setembro de 2018. As promoções estão condicionadas à inscrição e à frequência dos professores e coordenadores na capacitação, dividido em dois módulos.

Sobre o curso - O curso tem como objetivo tornar evidente na prática pedagógica da rede pública estadual de ensino a natureza transformadora das tecnologias educacionais, seja na vertente operacional ou na humanizadora, no processo de ensino e aprendizagem nas diversas áreas do conhecimento. As aulas serão realizadas fazendo uso de uma estrutura tecnológica e metodológica que possibilitará aos professores e coordenadores pedagógicos acessá-lo por meio de ambiente virtual de aprendizagem, através do site www.sec.ufba.br. Para o acesso, o educador deverá fazer uso do nome de usuário e senha, fornecidos através do e-mail informado no ato da inscrição.

O curso terá a carga horária integral de 120 h e será constituído de dois módulos de 60h cada. O primeiro terá três etapas divididas em: Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) para a comunicação e coleta de dados (25 h); TDIC para Comunicação, Produção e Colaboração (25 h); e Avaliação do Módulo (10 h). O segundo módulo também terá três etapas divididos em: TDIC para Organização e Criação (25 h); Ambientes Virtuais de Aprendizagem (25 h); e Avaliação do Módulo (10 h). Para a conclusão do curso “Uso Pedagógico de Tecnologias Educacionais” serão exigidos o aproveitamento com média 6,0 e a frequência mínima de 75% da carga horária total do curso.

Secretaria da Educação do Estado cadastra escolas para o projeto #Grafitaê

download (4) download (6) download (5)

 

A Secretaria da Educação do Estado deu início, nesta terça-feira (2) e segue até 30 de janeiro, às inscrições para a segunda edição do projeto #Grafitaê: Escola conta e pinta a sua história. A iniciativa, busca incentivar a liberdade de expressão, criatividade e a interação coletiva, além de promover um diálogo da cultura urbana dentro do ambiente escolar como forma de ensino e aprendizagem por meion da arte da grafitagem. Em 2017, primeiro ano do projeto, o #Grafitaê foi implantado em 270 escolas, localizadas nos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), alcançando 209 mil estudantes da rede estadual.

Para este ano, também serão abertas 270 vagas em unidades escolares da rede estadual. Para se inscrever, o gestor escolar deve comparecer ao NTE e preencher o Termo de Adesão, demonstrando interesse em levar o projeto para sua escola. A coordenadora de Educação Integral, Catarina Cerqueira, conta que é grande o interesse dos gestores pelo projeto que trouxe mais cores para as escolas em 2017.

“Este foi um projeto que deu muito certo, muito positivo, principalmente pelo envolvimento da comunidade escolar e do entorno. Em algumas escolas o muro virou cartão postal e as oficinas também levantaram várias questões sociais. O projeto, além de promover embelezamento nas escolas, trouxe discussões sobre empoderamento, preconceito, machismo, racismo, diversidade, entre outros, e, por outro lado, os grafiteiros tiveram um papel muito importante, incluindo os estudantes nesse processo artístico”, pontua a coordenadora.

Grafitaê - O projeto Grafitaê: Escola conta e pinta a sua história” busca aproximar a realidade dos estudantes à escola por meio da história de vida dos alunos e da comunidade, promovendo o empoderamento juvenil. Tendo o grafite como principal ferramenta de expressão visual, a iniciativa aborda a temática de forma lúdica, criativa e educativa, envolvendo e desafiando os estudantes a participarem de atividades diversas, como rodas de conversas, oficinas de hip-hop, rap, breakdance, grafite, onde os alunos são divididos previamente em equipes, com o objetivo de produção de conteúdo.

 

Secretaria da Educação do Estado cadastrará escolas para o projeto Grafitaê

download (1) download

A Secretaria da Educação do Estado realizará, de 2 a 30 de janeiro, às inscrições para a segunda edição do projeto #Grafitaê: Escola conta e pinta a sua história. A iniciativa, busca incentivar a liberdade de expressão, criatividade e a interação coletiva, além de promover um diálogo da cultura urbana dentro do ambiente escolar como forma de ensino e aprendizagem por meion da arte da grafitagem. Em 2017, primeiro ano do projeto, o #Grafitaê foi implantado em 270 escolas, localizadas nos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), alcançando 209 mil estudantes da rede estadual.

Para 2018 serão abertas 270 vagas em unidades escolares da rede estadual. Para se cadastrar, o gestor escolar deve comparecer ao NTE e preencher o Termo de Adesão, demonstrando interesse em levar o projeto para sua escola. A coordenadora de Educação Integral, Catarina Cerqueira, conta que a procura para a adesão já está grande. “Estamos recebendo ligações tanto de professores quanto dos alunos e gestores de todo o Estado, informando que suas escolas têm interesse e querendo saber quando começam as inscrições. A procura está muito forte”, explica a coordenadora.

Catarina também faz um balanço do #Grafitaê em 2017. “Foi um projeto que deu muito certo, muito positivo, principalmente pelo envolvimento da comunidade escolar e do entorno. Em algumas escolas o muro virou cartão postal e as oficinas também levantaram várias questões sociais. O projeto, além de promover embelezamento nas escolas, trouxe discussões sobre empoderamento, preconceito, machismo, racismo, diversidade, entre outros, e, por outro lado, os grafiteiros tiveram um papel muito importante, incluindo os estudantes nesse processo artístico”, pontua.

Grafitaê - O projeto Grafitaê: Escola conta e pinta a sua história” busca aproximar a realidade dos estudantes à escola por meio da história de vida dos alunos e da comunidade, promovendo o empoderamento juvenil. Tendo o grafite como principal ferramenta de expressão visual, a iniciativa aborda a temática de forma lúdica, criativa e educativa, envolvendo e desafiando os estudantes a participarem de atividades diversas, como rodas de conversas, oficinas de hip-hop, rap, breakdance, grafite, onde os alunos são divididos previamente em equipes, com o objetivo de produção de conteúdo.

Google certifica professores e estudantes da rede estadual de ensino

 download (7)
A Google INC certificou 116 professores e nove estudantes da rede estadual de ensino, que participaram da formação do Google Apps For Education ou Google Sala de Aula. O aplicativo oferece um Ambiente Virtual de Aprendizagem de última geração, dinamizando os processos de ensino e aprendizagem e configurando uma rede social de conhecimentos que integra estudantes e professores. A iniciativa é resultado de parceria com a Secretaria da Educação do Estado, por meio do projeto e-Nova Educação, que inclui a formação dos gestores e professores, com o objetivo de fortalecer o eixo pedagógico nas escolas.
Realizada pelo Instituto Paramitas – única ONG parceira da Google para a formação de professores –, contratado pela Secretaria da Educação do Estado, a formação foi iniciada em 20 unidades de ensino de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari, Lauro de Freitas, Mata de São João, Jequié, Senhor do Bonfim, Luís Eduardo Magalhães, Ilhéus e Itabuna. De acordo com o coordenador geral de Articulação de Projetos para a Educação da Secretaria, Rogério Quintella, a iniciativa proporciona a inovação na sala de aula e confere maior qualidade nos processos de ensino e aprendizagem dos estudantes, por meio do uso da tecnologia.
“A certificação dos professores e estudantes ocorre por meio de uma prova bastante difícil, internacional, feita à distância.  O resultado superou a nossa expectativa. Começamos em 20 escolas, tendo como infraestrutura apenas os celulares do formador e dos cursistas. Agora, teremos condições de ampliar a formação e fazer ainda melhor com a chegada da banda larga em 572 escolas da rede estadual, no início do ano letivo de 2018. Isto significa que, inicialmente, quase 50% das nossas escolas já terão acesso à Internet em Banda Larga, o que vai facilitar o acesso ao Google Sala de Aula”, ressalta Quintella.
A professora de Filosofia do Colégio Estadual Félix Mendonça, em Itabuna, Joadilma Priscila, fala sobre a experiência. “Este curso do Google foi muito bom. Algumas ferramentas eu já conhecia, mas não sabia como utilizá-las. A agenda já fazia parte do meu cotidiano e outras ferramentas foram sendo descobertas. A ferramenta de projeto foi muito interessante: poder fazer o projeto, compartilhar as informações. Estou aplicando as ferramentas com os alunos e para o próximo ano letivo pretendo ampliar a execução com eles porque acho que isso vai dar uma grande oportunidade, tanto para mim, como professora, como para os alunos de nos envolvermos mais com o conhecimento”.
A professora Jerusa Prado, do Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde (CEEPS) Adélia Prado, em Vitória da Conquista, aplicou algumas ferramentas do Google com seus alunos e fala sobre o resultado. “Ao término da nossa terceira e última unidade do ano letivo, utilizei uma das ferramentas do Google Sala de Aula, que é o formulário, e, através dele, criei um questionário de autoavaliação, com questões objetivas e subjetivas. Convidei os alunos através do e-mail deles e fiz questão de que eles realizassem essa atividade em casa para que ficassem mais à vontade para responder. Foi uma atividade muito proveitosa e prazerosa, porque tive um retorno de como foi a disciplina para os meus alunos, como eles aprenderam e as deficiências que ficaram”.