Secretaria da Educação do Estado mobiliza estudantes para inscrições no SISU

download (3)

 

A Secretaria da Educação do Estado está  mobilizando os estudantes concluintes do Ensino Médio para que se inscrevam no Sistema de Seleção Unificada (SISU), que acontece no período de 22 a 25 de janeiro. É através do SISU, do Ministério da Educação, que as instituições públicas de Ensino Superior oferecem vagas a candidatos a partir das notas do Ensino Nacional do Ensino Médio (ENEM). Para tanto, ações de sensibilização serão promovidas neste final do ano letivo para que os estudantes possam utilizar o sistema e buscar ingressar nos diferentes cursos ofertados por instituições baianas, a exemplo das universidades estaduais (UESC, UEFS, UNEB e UESB) e das federais, como a Universidade Federal da Bahia (UFBA).

 

De acordo com o superintendente de Políticas para a Educação Básica do Estado, Ney Campello, técnicos da Educação, em parceria com representantes de instituições como a UFBA, visitarão turmas do 3º ano do Ensino Médio nas escolas estaduais para socializar informações sobre esta via de acesso ao Ensino Superior. “Diferentemente do que muita gente pensa, existem vagas de acesso às universidades em cursos bastante concorridos como é o caso de Medicina e que poderiam ser preenchidas pelo SISU. Então, é fundamental que os nossos estudantes acessem o SISU, se inscrevam, acompanhem as notas de corte, o resultado final e a lista de aprovados. Isso também acaba sendo um estímulo a mais para que os estudantes compreendam a importância dos estudos no Ensino Médio e da preparação para o ENEM”, destacou o superintendente.

 

ENEM 100% - Segundo o superintendente, a sensibilização para o SISU fortalece o projeto ENEM 100%, ação estratégica da Secretaria que amplia a preparação dos estudantes para o exame e compreende etapas como: mobilização nas unidades escolares, inscrição e registro dos inscritos e fortalecimento das aprendizagens com o ciclo de Aulões.  Além disso, a Secretaria da Educação do Estado disponibiliza mais de seis mil conteúdos digitais educacionais no Ambiente Educacional Web, no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). São conteúdos de todas as disciplinas das áreas de conhecimento e de todos os níveis de ensino, produzidos e/ou catalogados por educadores da Rede Anísio Teixeira.

 

Saiba mais sobre o SISU: http://sisu.mec.gov.br/

Consulta pública para currículo de referência na Bahia recebe mais de 200 mil contribuições

download (1)

 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação e em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME/BA), irá oferecer, a partir do ano letivo de 2019, um currículo de referência para o Estado da Bahia nas etapas de Educação Infantil e de Ensino Fundamental, à luz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Para colher sugestões dos diferentes segmentos, a Secretaria abriu uma consulta pública que recebeu mais de 200 mil contribuições.

 

O currículo, que se encontra em fase de elaboração e sistematização, terá a proposição de novas competências e habilidades associadas às expectativas e demandas da infância, adolescência e juventude do século XXI. O processo de elaboração do currículo de referência começou com o apoio de consultores e redatores. Além disso, foi constituído um comitê de governança com várias instituições, como o Conselho Estadual de Educação (CEE) e a União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME), que funcionou durante todo o ano. “Esta construção coletiva comprova que o Estado permanece tão atento e responsável com o Ensino Fundamental que entregará este valioso documento para ser implementado nas escolas e isso mostra que o Estado continua corresponsável por esta etapa de ensino”, destaca o superintendente de Políticas para a Educação Básica do Estado, Ney Campello.

 

Para chegar ao documento, a Secretaria da Educação do Estado realizou consulta pública on-line e presencial, quando foram feitas, inclusive, as validações da primeira versão apresentada do documento de referência. A previsão é a de que a segunda versão do currículo referencial seja entregue na próxima segunda-feira (10) ao Conselho Estadual de Educação, que fará as observações para eventuais modificações normativas. Depois, o processo de implementação na rede estadual será desencadeado já na Jornada Pedagógica 2019, que acontece antes do início do ano letivo.

 

O superintendente Ney Campello disse que a implementação será progressiva para todas as redes de ensino. “Nós estamos discutindo a estratégia para saber quais mecanismos usaremos para essa implementação, como simpósios, seminários e debates, no âmbito das unidades escolares. Nós estamos apresentando um currículo referencial básico para que não percamos a concepção de sistema entre o Estado, os municípios e a rede privada, mas cabe à rede privada e cada município fazerem as suas necessárias adequações e implementações”, concluiu.

Secretaria da Educação do Estado orienta sobre devolução de livros didáticos

download

 

Com a aproximação do final do ano letivo da rede estadual de ensino, a Secretaria da Educação do Estado orienta as unidades escolares sobre a devolução dos livros didáticos entregues aos alunos e professores dos anos finais dos Ensinos Fundamental e Médio. A devolução é imprescindível, pois os mesmos serão reutilizados por outros estudantes no ano letivo de 2019.

Segundo a coordenadora do Livro Didático e Biblioteca da Secretaria da Educação do Estado, Alessandra Santana, cada unidade escolar deve incentivar a boa conservação do material didático, bem como adotar medidas para estimular as devoluções. “As escolas deverão fazer campanhas em sala de aula para a devolução dos livros didáticos e estabelecer como prazo final o período de renovação de matrícula, que segue até o dia 17 deste mês. É importante frisar que a campanha de cuidado, preservação e conservação deve ser realizada durante todo o ano letivo”, destacou.

Outra orientação é quanto ao controle dos livros devolvidos. “As unidades escolares deverão tomar nota de quantos livros foram devolvidos, quais títulos e séries. Com base nestas informações, é possível saber quais e quantos livros serão necessários para fazer a reposição seja por remanejamento e ou por reserva técnica”, salientou a coordenadora.

Segundo a coordenadora não há necessidade de recolher os livros consumíveis, ou seja, aqueles que geralmente possuem atividades para serem respondidas pelos estudantes no próprio livro e, por conta disso, não podem ser reutilizados, como são os casos de alguns livros de Línguas Estrangeiras, Filosofia, Sociologia e Artes. Para saber se o livro é reutilizável ou consumível, basta verificar a quarta capa do livro, onde consta esta indicação.

 

Secretaria da Educação do Estado divulga resultado do concurso de vídeos educativos

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou o resultado do concurso de Vídeo Educativo – Saúde na Escola, criado para promover o protagonismo estudantil ao estimular a abordagem da temática aliada à produção de audiovisual. Foram selecionados sete trabalhos, com 14 estudantes envolvidos. Os vídeos têm até cinco minutos de duração e abordam questões como a Prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST); Controle do Aedes aegypti e Prevenção às arboviroses (Dengue, Chikungunya, Zika, entre outras); Prevenção ao uso de álcool, tabaco e outras drogas; Promoção à alimentação saudável; Promoção da saúde ambiental e sustentabilidade socioambiental; Promoção da cultura de paz; e Respeito à vida. Confira a lista dos selecionados no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).

A estudante Vitória Maia, 17, 2º ano do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) Bacia do Rio Corrente, no município de Santa Maria da Vitória, foi uma das selecionadas e fala sobre a alegria de ter seu vídeo sobre prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis/AIDS selecionado no concurso. “Foi muito gratificante esta vitória porque nos dedicamos muito ao trabalho, que nos trouxe muito aprendizado. Trazer para a nossa escola a premiação foi um orgulho grande. Comemoramos demais”, conta a aluna, que teve como parceira a colega Thaiane da Silva.

O CETEP Bacia do Rio Corrente foi vencedor também com o curta sobre prevenção e controle da Dengue, Chikungunya e Zika, ambos realizados sob a orientação da professora Aldenir Godrim. “Estamos muito felizes com esta dupla vitória. A execução dos vídeos foi uma maneira diferente de lidar com questões de Saúde, por meio de uma linguagem que eles se identificam. Nossos alunos ficaram muito empolgados e se sentiram protagonistas de verdade das atividades e, com isso, elevaram sua autoestima e gosto pelos estudos”, relata a educadora.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação, Fábio Barbosa, fala sobre a importância do concurso, do qual concorreram na etapa estadual cerca de 100 alunos. “Trata-se de uma estratégia pedagógica para estimular as unidades escolares a trabalhar as questões de promoção à saúde e prevenção a situações de agravo e de vulnerabilidade dos nossos estudantes por meio da produção de vídeos educativos dos quais os alunos são autores. São atividades que dialogam diretamente com o currículo da escola, que tem um papel fundamental na formação integral dos nossos estudantes. E trabalhar a temática da Saúde é o principal objetivo desta ação, que incentiva o protagonismo juvenil, através de uma ferramenta que eles têm familiaridade, que é o audiovisual”.

Sobre o concurso – O concurso público de vídeos, realizado de 18 de maio a 9 de novembro de 2018, envolveu as etapas escolares, territorial e estadual, esta última envolveu uma comissão julgadora da Secretaria da Educação do Estado. A ação promoveu a reflexão entre os estudantes e professores sobre a temática e estimulou ações de prevenção de doenças e agravos, direcionadas ao enfrentamento das vulnerabilidades dos estudantes, além da promoção de hábitos e atitudes saudáveis, na perspectiva do desenvolvimento integral dos estudantes, fortalecendo o eixo pedagógico. Participaram estudantes regularmente matriculados nos Ensinos Fundamental e Médio e na Educação Profissional, que produziram seus vídeos nas unidades escolares ou em seu entorno. A ação pedagógica foi realizada em dupla de alunos e cada uma teve a orientação de um professor.

Assista os vídeos: http://bit.ly/saudenaescola2018

Abertas inscrições para o Programa Missão Pedagógica no Parlamento 2019

download (13) download (12)

Estão abertas até 3 de dezembro as inscrições para o Programa Missão Pedagógica no Parlamento 2019. A ação é promovida pela Câmara dos Deputados com o objetivo de promover a capacitação em educação para a democracia. Podem participar professores, coordenadores, orientadores pedagógicos e diretores de escolas públicas de todo o país.

O ingresso no Missão Pedagógica no Parlamento 2019 se dá por meio da participação no curso “Educação para Democracia e o Parlamento”. São oferecidas 16 vagas por estado, totalizando 432 vagas. A inscrição no curso é feita por formulário eletrônico e as vagas são preenchidas por sorteio. Participarão do Programa Missão Pedagógica no Parlamento os 54 educadores com melhores desempenhos no curso a distância, sendo dois por estado.

O Missão Pedagógica no Parlamento é dividido em dois módulos: Encontro Presencial de 40 horas, que será realizado em Brasília, e Módulo de Aplicação na modalidade de educação a distância, de 50 horas. O programa contempla duas trilhas de aprendizagem para oportunizar o aprendizado sobre cidadania, política, democracia e Poder Legislativo de forma contextualizada e reflexiva e o aprendizado de conceitos e metodologias para a atuação como agente de ações de educação para democracia nas comunidades escolares.

O Encontro Presencial aborda conhecimentos relacionados à democracia e representação, processo de produção das leis, participação do cidadão, conceitos de educação para democracia e letramento político, o papel da escola para a formação democrática e cidadã, e experiências de projetos pedagógicos de intervenção inspiradores. A Câmara dos Deputados arca com as despesas de transporte, hospedagem e alimentação para a participação dos selecionados no Encontro Presencial, em Brasília. Já no Módulo de Aplicação abordada a construção e a aplicação de projetos pedagógicos de educação para democracia no contexto escolar.

Certificado de participação - Os educadores que concluem o programa com êxito recebem certificado emitido pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados (CEFOR) com carga horária de 130 horas. Os educadores que forem aprovados no curso “Educação para Democracia e o Parlamento”, mas não forem selecionados para participar do Missão Pedagógica no Parlamento, receberão certificado com carga horária de 40 horas.

Serviço:

 

Inscrições até o dia 3 de dezembro de 2018

Processo seletivo – Curso “Educação para Democracia e o Parlamento”: de 18 de fevereiro a 15 de abril de 2019, com carga horária de 40 horas, na modalidade a distância

Encontro Presencial: 10 a 14 de junho de 2019, em Brasília

Módulo a distância: de 5 de agosto a 14 de novembro de 2019 Edital e Inscrições:www.camara.leg.br/evc

 

 

Começa segunda-feira a renovação da matrícula na rede estadual de ensino

download (11)

Começa na próxima segunda-feira (26) e segue até o dia 17 de dezembro o período de renovação da matrícula para os estudantes da rede estadual de ensino, que frequentaram regularmente o ano letivo 2018. A renovação poderá ser feita presencialmente nas escolas e, também, pelo sistema online da Secretaria da Educação do Estado, que estará disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).

Para renovar a matrícula, a unidade escolar entregará aos estudantes uma carta de renovação, que deverá ser devolvida, obrigatoriamente, à Secretaria Escolar, mediante protocolo, sob pena de o aluno perder a vaga na unidade escolar onde estudou em 2018. Quando a escola em que o aluno está regularmente matriculado em 2018 não oferecer a série subsequente para o ano letivo de 2019, o estudante receberá uma carta informativa com um código para fazer sua matrícula pela internet, no dia 22 de janeiro de 2019. Esta data é reservada à transferência de estudantes da rede estadual de ensino, que também poderá ser feita presencialmente em qualquer escola da rede estadual.

Educação Inclusiva – A pré-matrícula do estudante com necessidade educacional especial, ou seja, aquele aluno com deficiência, transtorno global do desenvolvimento e/ou altas habilidades/superdotação, com ou sem diagnóstico comprovado, será realizada apenas via internet, nos dias 29 e 30 de novembro.  Para a inscrição na pré-matrícula, todos os campos de cadastro devem ser preenchidos. O estudante inscrito na pré-matrícula terá sua matrícula efetivada, somente, após a entrega da documentação na unidade escolar indicada no cadastro, no dia 31 de janeiro de 2019.

Já o calendário de matrícula para o ano letivo de 2019 será de 22 a 29 de janeiro de 2019. Uma novidade é que a apresentação do cartão de vacina dos estudantes até 18 anos de idade se tornará obrigatório no ato da matrícula, mesmo não se tornando impedimento para que o ato aconteça. O calendário escolar do ano letivo de 2019 começará no dia 11 de fevereiro e termina no dia 16 de dezembro. Os Núcleos Territoriais de Educação (NTE) poderão apresentar à Secretaria da Educação do Estado um calendário Escolar diferenciado e que considere as peculiaridades locais, inclusive climáticas, culturais e econômicas das regiões. O mesmo pode acontecer com as escolas indígenas, quilombolas e do campo, considerando as atividades produtivas e socioculturais das suas comunidades. Em ambos os casos, o ano letivo terá carga horária mínima anual de 800  horas, distribuídas em 200 dias de efetivo trabalho escolar, excluído o tempo reservado a avaliação final.

Acesse a portaria no Portal da Educação – www.educacao.ba.gov.br

 

Escolas do interior celebram o Dia da Consciência Negra com atividades culturais

download (1) download (2)download (3)

As escolas da rede estadual de ensino localizadas no interior do estado também promoveram atividades culturais em comemoração ao Dia da Consciência Negra, celebrado nesta terça-feira (20). Entre as ações alusivas à data, se destacaram apresentações musicais, dança, poesia, projetos, rodas de conversa e palestras.

No Complexo Integrado de Educação de Porto Seguro, localizado em Porto Seguro (710 km de Salvador), foi realizada a culminância do projeto “África real e contemporânea”. A programação foi marcada por exposições sobre filósofos, cientistas e escritores africanos, além de apresentações sobre a cultura dos países, jogos, moda e culinária contemporânea do continente.

Segundo o professor de História, Tadeu Cardoso, o evento teve o objeto de desmistificar a ideia de uma África pobre e negativa. “A África é moderna, possui tecnologia, uma literatura mundialmente conhecida, medicina avançada, filósofos e cientistas renomados e, isso, deve ser valorizado e mostrado na escola”, disse o educador.

A estudante Maisa Matos dos Santos, 17 anos, 3º ano do Ensino Médio, disse que gostou muito do evento. “Eu me surpreendi com a riqueza que os países africanos possuem. Minha sala pesquisou sobre literatura africana e uma das autoras que me chamou a atenção foi a escritora nigeriana Chimamanda Ngozi, pois aborda sobre o feminismo”, contou.

No Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães, localizado em Bom Jesus da Lapa (778 km da capital), foi realizado nesta terça-feira (20), a culminância do projeto ‘Lutas e labutas do povo negro de Bom Jesus da Lapa’. Os estudantes participaram de oficinas temáticas de arte, música, dança afro, além de rodas de conversa e de capoeira, poesias exibição de vídeos. Além disso, eles apresentaram o resultado do projeto, no qual eles visitaram o quilombo ‘Campo Lagoa do Pinto’ e entrevistaram os moradores locais.

A diretora da unidade escolar, Maria Helena Laranjeira, falou da importância do projeto. “A iniciativa teve o objetivo de reconhecer esse espaço de resistência e preservação da cultura afro dos remanescentes quilombolas. Através das visitas realizadas, os estudantes colheram informações e, hoje, socializaram com toda a comunidade escolar”, revelou a gestora.

 

Novembro Negro Secretaria da Educação do Estado relança livro sobre o tráfico de africanos e o cotidiano na Bahia

 

 

Dentro das inúmeras atividades que estão sendo realizadas na rede estadual pelo Novembro Negro, em celebração ao Dia da Consciência Negra (20/11), a Secretaria da Educação do Estado da Bahia lança uma nova remessa de 1.500 exemplares do livro paradidático “Terror e aventura – tráfico de africanos e cotidiano na Bahia” (Editora Corrupio), de Goli Guerreiro e Elizabeth Rodrigues, que foi publicado em 2012, com uma tiragem de 100 mil. A produção do material didático faz parte do conjunto de políticas públicas afirmativas implementadas no âmbito da rede estadual. Além disso, nesta sexta-feira (23), às 15h, no auditório da Secretaria, estudantes e professores participam do debate sobre os 220 anos do enforcamento dos líderes da Revolta dos Búzios.

O subsecretário Nildon Pitombo explica que o relançamento do livro “Terror e aventura – tráfico de africanos e cotidiano na Bahia” decorre do pedido de professores de História. “A publicação é fruto da necessidade da rede estadual de ter um material didático para atender a Lei nº 10.639, que estabelece a inclusão no currículo oficial da temática ‘história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas e do Estatuto da Igualdade Racial da Bahia, que diz que devemos providenciar a produção de material didático e continuar a labuta cotidiana do combate ao racismo dentro do Estado. Reproduzimos o livro e, por meio do Programa de Educação Científica (PCE), o inserimos em cerca de 800 escolas, especialmente as unidades quilombolas de Cachoeira”.

Além dos textos, a publicação traz um conjunto de varandas (boxes em cor amarela) com as quais professores e estudantes podem utilizar recursos (música, cinema e poesia) como estratégia de aprendizado. “É interessante que, com isso, levamos para dentro da escola a importância da literatura brasileira que trata do abolicionismo, principalmente em uma época em que há quem minimize, por falta de conhecimento histórico da tragédia da escravidão negra no país, os efeitos e a ocorrência da escravidão”, destacou o gestor.

 

Estrutura e conteúdo – A estrutura do livro facilita a condução da sua leitura para possibilitar articulações com outras disciplinas e conteúdos, como mapas, oceanos, continentes, expansão geopolítica e fenômenos da cultura. Dentre os assuntos inseridos, a publicação aborda a história do tráfico de africanos no Oceano Atlântico e a vida cotidiana do negro na Bahia, bem como descreve a saga das populações negras traficadas do continente africano para a Bahia, destacando o protagonismo dos negros escravizados e libertos. A obra está voltada, sobretudo, para a compreensão do papel dos africanos e dos negros brasileiros na construção da cultura baiana.

Além de analisar a escravidão na história da humanidade, o livro assinala o conceito de escravidão, sua origem e os locais onde foi praticada, bem como a forma de sua ocorrência nos mais variados lugares. Traz, também, a introdução da noção de escravidão racial que atingiu os povos africanos, conduzida pelos árabes na ocupação da Península Ibérica entre os séculos VIII e XV, e os primórdios da escravidão no

Brasil. No capítulo 1, “O tráfico atlântico”, o livro apresenta a realidade dos continentes antes do tráfico atlântico, abordando características culturais da África, Europa e América. Também sublinha aspectos das civilizações africanas e aborda a lógica do tráfico e a dinâmica mercantil que conectou o Oceano Atlântico e seus continentes.

Já no capítulo 2, “No engenho dos senhores”, os autores configuram o recôncavo e o cotidiano dos engenhos nos tempos do Brasil Colônia, com a presença dos africanos escravizados. Os aspectos da vida urbana de Salvador e o trabalho dos negros no escravismo no período colonial são alguns dos temas focados no capítulo 3, “Na cidade dos escravos”. O livro finaliza com os capítulos 4, “Pirataria e luta”, que aborda as sucessivas revoltas escravas no século XIX, e 5, “O dia seguinte”, que traz a situação dos negros nos tempos da pós-abolição e aponta repercussões do fim da escravidão até os dias atuais, com a luta antirracista.

Revolta dos Búzios – O projeto de difusão da Revolta dos Búzios nas escolas públicas é uma contribuição para superar a ausência de valorização histórica ao passado do povo negro no Estado. A programação no dia 23, na Secretaria da Educação, terá início às 12h, com um desfile de turbantes, com a participação de servidores do órgão. Às 15h haverá um bate-papo sobre a questão do negro na sociedade, desafios, vitórias e empoderamento, com a professora Josiane Climaco e a capitã Sheila Barbosa, da Base de Segurança da Santa Cruz. Também será exibido o documentário “1798: Revolta dos Búzios”, do cineasta baiano Antonio Olavo. Apresentação de Black Dance e feira de artesanato também fazem parte do evento.

Um dos mais importantes acontecimentos da história política do Brasil, a Revolta dos Búzios, que também é chamada de Revolução dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, é um movimento republicano ocorrido na Bahia no século XVIII, influenciado pelos ideais iluministas da Revolução Francesa (1789), que levantou as bandeiras da independência; do fim da escravidão; e da proclamação da república. No biênio 2018-2019 celebra-se os 220 anos da eclosão da Revolta dos Búzios (1798) e da morte dos quatro mártires (1799): os soldados Luiz Gonzaga e Lucas Dantas e os alfaiates João de Deus e Manuel Faustino, enforcados e esquartejados em 8/11/1799, na Praça da Piedade, em Salvador.

 

Secretaria da Educação do Estado divulga período de renovação de matrícula na rede estadual de ensino

download

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, nesta quarta-feira (14), no Diário Oficial a portaria que regulamenta todos os procedimentos de matrícula. A renovação da matrícula para os estudantes da rede estadual de ensino poderá ser feitas presencialmente nas escolas e, também, pelo sistema online que estará disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).

De acordo com a portaria, a renovação da matrícula do estudante que frequentou regularmente o ano letivo 2018, acontecerá de 26 de novembro a 17 de dezembro de 2018. Para renovar a matrícula, a unidade escolar entregará aos estudantes uma carta de renovação, que deverá ser devolvida, obrigatoriamente, à Secretaria Escolar, mediante protocolo, sob pena de o aluno perder a vaga na unidade escolar onde estudou em 2018.

Quando a escola em que o aluno está regularmente matriculado em 2018 não oferecer a série subsequente para o ano letivo de 2019, o estudante receberá uma carta informativa com um código para fazer sua matrícula pela internet, no dia 22 de janeiro de 2019. Esta data é reservada à transferência de estudantes da rede estadual de ensino, que também poderá ser feita presencialmente em qualquer escola da rede estadual.

Educação Inclusiva – A portaria também estabelece que a pré-matrícula do estudante com necessidade educacional especial, ou seja, aquele aluno com deficiência, transtorno global do desenvolvimento e/ou altas habilidades/superdotação, com ou sem diagnóstico comprovado, será realizada apenas via internet, nos dias 29 e 30 de novembro.  Para a inscrição na pré-matrícula, todos os campos de cadastro devem ser preenchidos. O estudante inscrito na pré-matrícula terá sua matrícula efetivada, somente, após a entrega da documentação na unidade escolar indicada no cadastro, no dia 31 de janeiro de 2019.

A portaria também estabelece o calendário de matrícula para o ano letivo de 2019, que será de 22 a 29 de janeiro de 2019. Uma novidade é que a apresentação do cartão de vacina dos estudantes até 18 anos de idade se tornará obrigatório no ato da matrícula, mesmo não se tornando impedimento para que o ato aconteça.

A portaria estabelece, ainda, o calendário escolar do ano letivo de 2019, que começará no dia 11 de fevereiro e termina no dia 16 de dezembro. Os Núcleos Territoriais de Educação (NTE) poderão apresentar à Secretaria da Educação do Estado um calendário Escolar diferenciado e que considere as peculiaridades locais, inclusive climáticas, culturais e econômicas das regiões. O mesmo pode acontecer com as escolas indígenas, quilombolas e do campo, considerando as atividades produtivas e socioculturais das suas comunidades. Em ambos os casos, o ano letivo terá carga horária mínima anual de 800  horas, distribuídas em 200 dias de efetivo trabalho escolar, excluído o tempo reservado a avaliação final.

Acesse a portaria no Portal da Educação – www.educacao.ba.gov.br

CETEP da Bacia do Paramirim promove a I Feira Literária de Macaúbas

FeiraLiterária1 FeiraLiterária4

O Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) da Bacia do Paramirim, unidade da rede estadual de ensino localizada em Macaúbas, no Centro-sul da Bahia, está realizando, nestas quarta e quinta-feira (13 e 14), a I Festa Literária de Macaúbas (FLIMAC). Com a proposta de incentivar a leitura em suas diversas modalidades e suportes, contribuindo para a formação profissional e cidadã dos estudantes, a iniciativa conta com palestras, mesas-redondas, rodas de conversa, lançamentos de livros, shows e diversas manifestações artísticas. São esperadas de 3 a 5 mil pessoas nos dois dias de evento.

No total, estão envolvidos cerca de 500 alunos do Ensino Médio integrado à Educação Profissional, estudantes dos cursos técnicos em Administração, Vendas e Secretaria Escolar. A estudante do curso técnico em Vendas, Graciele Oliveira Santos, 18 anos, é uma das participantes e fala sobre seu envolvimento. “Eu falo sobre a história entre o letramento e religiosidade em Macaúbas. A gente pesquisou sobre como os pais ensinavam seus filhos a ler e trouxemos vários artefatos antigos, como livros e bíblias que as famílias usavam para ensinar seus filhos a ler e escrever porque não tinham acesso a livros didáticos”, conta.

Na programação, destaque também para as exposições de fotografia e artes visuais. Toda a Festa, seus stands e mostras contam com a participação de alunos, que vão lançar livros de poesia e não-ficção, apresentar peças e outras produções como teatro, dança e poesia encenada. “Resolvemos fomentar essa festa para estimular o jovem talento, mostrar o que nossa região pratica em termos de literatura. A partir do evento buscamos atender a questões de aprendizagem, se comunicar com a comunidade do nosso município, Macaúbas, e melhorar a conexão com os outros municípios do nosso território”, diz o vice-diretor pedagógico, Teotônio da Silva Ferreira.

Entre os temas abordados, estão: ‘Jovens do terceiro milênio’, ‘A mulher negra na literatura’ e ‘A importância Histórica da Leitura’. As oficinas contemplarão tópicos como fotografia, desenho e como montar seu livro.

 

Marque sua reportagem

Vice-diretor pedagógico Teotônio da Silva Ferreira: 77 99800-4024